Pinturas

Descrição da pintura por Peter Bruegel "Jogos Infantis"


O elemento da vida urbana é a composição central da obra de Peter Brueghel. Na tela, "Jogos para crianças" mostra uma rua cheia de crianças brincando e brincando. A imagem não tem limite de perspectiva. O artista já voltou os olhos para a multidão ociosa e, desta vez, com a precisão de um escritor, conta ao público o absurdo da atividade humana. Assim, o autor aborda o problema do lugar do homem no mundo.

O público é presenteado com um espaço urbano, bastante aberto, semelhante às praças modernas, mas executado de maneira medieval. Em lados diferentes da rua há casas, às vezes não muito realistas, mas nem um pouco embelezadas. Além disso, a costa é verde com um rio que corre para longe. E em todo lugar, em todo espaço livre, havia multidões de crianças brincando de manhã à noite.

Baseado na prática visual, Bruegel reproduz tudo com muita precisão. Surpreendentemente, o artista conseguiu distinguir cada detalhe, grupo ou figura na tela. "Jogos Infantis" é uma espécie de enciclopédia de jogos infantis: a imagem apresenta mais de uma centena de brincadeiras e diversão para crianças. Muitos deles hoje permanecem tão relevantes quanto eram 500 anos atrás. As crianças andam sobre palafitas, jogam guardanapos, perseguem um arco.

Bruegel não era ele mesmo se tivesse capturado um evento de maneira descritiva. Ele está preocupado com outro pensamento: a falta de sentido da existência humana. Se você observar atentamente, poderá ver jogos nos quais as crianças imitam habilmente os adultos, retratando um casamento ou uma loja, como se o próprio Bruegel nos dissesse que todas as atividades humanas são absurdas, não importa o que ele faça.

Não há sorrisos nos rostos dos jogadores e isso parece estranho. Como adultos, eles se rendem ao jogo com toda perseverança. A tarefa que o artista sempre enfrentou foi transmitir o mundo o mais autêntico possível, como era naquela época de crueldade e violência.





Escultura do cupido e da psique


Assista o vídeo: Recriar é Criar (Pode 2021).